GINÁSTICA RÍTMICA – GRAND PRIX DE BERLIM 2015 – FINAIS

Os resultados das finais são os seguintes!

ARCO

1. Margarita Mamun, RUS – 18,800
2. Aleksandra Soldatova, RUS – 18,500
3. Melitina Staniouta, BLR – 18,350
4. Neta Rivkin, ISR – 18,300
5. Victoria Veinberg-Filanovsky, ISR – 17,900
5. Marina Durunda, AZE – 17,900
5. Elizaveta Nazarenkova, UZB – 17,900
8. Salome Pazhava, GEO – 17,750
9. Jana Berezko-Marggrander, GER – 17,500

BOLA

1. Margarita Mamun, RUS – 19,000
2. Neta Rivkin, ISR – 18,200
3. Melitina Staniouta, BLR – 18,100
4. Katsiaryna Halkina, BLR – 17,750
5. Victoria Veinberg-Filanovsky, ISR – 17,650
6. Salome Pazhava, GEO – 17,400
7. Kseniya Moustafaeva, FRA – 17,300
7. Veronika Poliakova, RUS – 17,300
9. Jana Berezko-Marggrander, GER – 17,250

MAÇAS

1. Margarita Mamun, RUS – 19,050
2. Aleksandra Soldatova, RUS – 18,650
3. Katsiaryna Halkina, BLR – 18,200
3. Melitina Staniouta, BLR – 18,200
5. Durunda, Marina, AZE – 18,000
5. Elizaveta Nazarenkova, UZB – 18,000
7. Victoria Veinberg-Filanovsky, ISR – 17,900
8. Jana Berezko-Marggrander, GER – 17,550
9. Salome Pazhava, GEO – 17,050

FITA

1. Melitina Staniouta, BLR – 18,600
2. Aleksandra Soldatova, RUS – 18,250
3. Margarita Mamun, RUS – 18,150
3. Katsiaryna Halkina, BLR – 18,150
5. Neta Rivkin, ISR – 18,050
6. Elizaveta Nazarenkova, UZB – 18,000
7. Victoria Veinberg-Filanovsky, ISR – 17,550
7. Jana Berezko-Marggrander, GER – 17,550
9. Salome Pazhava, GEO – 17,050

5 FITAS

1. Bielorrússia – 17,850
2. Israel – 17,600
3. Alemanha – 17,150
4. Rússia – 17,050
5. Azerbaidjão – 16,900
6. Canada – 15,800
7. Brasil – 13,650

2 ARCOS e 6 MAÇAS

1. Rússia – 17,700
2. Bielorrússia – 17,500
3. Israel – 17,300
3. Azerbaidjão – 17,300
5. Alemanha – 17,000
6. Canada – 15,950
7. Brasil – 12,400

A gente tem AQUI algumas fotos das finais.

Assim que aparecerem vídeos pra gente ver/analisar, podem aguardar que eu posto.

=D

Anúncios

GINÁSTICA RÍTMICA – GRAND PRIX DE BERLIN – RESULTADOS E VÍDEOS – PRIMEIRO DIA

Eu acabei de encontrar os resultados completos do primeiro dia e dois canais com vídeos, então eu vou postar eles aqui. (spoiler alert: nenhum vídeo do Brasil ainda)

AA INDIVIDUAL

AA DE CONJUNTO 

Fazendo uma pequena análise das notas, eu curti bastante as da Angélica, uma pena na bola, pois ela deve ter feito alguns erros. No mais, as notas estão onde deveriam estar, pra cima dos dezesseis.

Claro, vendo a situação da América nesse momento, eu vejo um pouco difícil a Angélica conseguir uma medalha no AA do Pan, porque as duas americanas e uma canadense são relativamente mais fortes do que ela. Claro, a gente tem que esperar vir o Pan pra ver como vai ser a competição, óbvio.

No conjunto a gente pode ver que o Brasil teve uma falha de aparelho fora do tablado com essa dedução nas fitas. Mas o que eu achei interessante foi a note de dificuldade do arco e maças, que está na mesma base do que nós tiramos no Mundial do ano passado. Claro, pra se ter certeza de como elas foram mesmo a gente precisa ver vídeos.

Vamos aguardar então.

Alguns vídeos da competição podem ser vistos AQUI e AQUI.

=D

BÔNUS (pra quem leu até o fim)

GINÁSTICA RÍTMICA – GRAND PRIX DE BERLIM 2015 – PRIMEIRO DIA

Eu recebi um monte de informações do pessoal que segue o blog durante o dia, e eu também estava acompanhando pelo meu telefone todos os resultados e comentários, mas eu resolvi esperar até a noite pra poder chegar no meu PC pra fazer uma postagem aqui – e um obrigado a todo mundo que mandou coisas!

Vamos ver o que a gente pode passar de resultados pra vocês.

Entre os conjuntos o Brasil ficou na última posição, nada de surpresa, mas as notas foram interessantes – porém a gente tem que esperar algum vídeo aparecer pra gente poder fazer as nossas análises e chegar as conclusões.

Resultado dos conjuntos

1. Bielorrússia 35,250 – 17,450+17,800
2. Israel 35,200 – 17,750+17,450
3. Rússia 34,850 – 17,450+17,400
4. Azerbaidjão 33,850 – 16,800+17,050
5. Alemanha 33,500 – 16,750+16,750
6. Canada 31,250 – 15,250+16,000
7. Brasil 29,650 – 14,400+15,250

Como deu pra ver a gente conseguiu chegar perto das notas do ano passado, mas claro, a gente tem que levar em conta que nessas competições a arbitragem não é tão dura quanto nos mundiais, mas dá pra ter uma noção de como foi. Claro, não que eu queira justificar alguma coisa, ainda porque eu não vi nada, mas temos que lembrar que esse conjunto se formou depois da primeira competição do Canadá e depois da terceira dos EUA – em Pesaro.

Sobre o individual, a Angélica conseguiu um 16,300 na fita, mas no resto eu não sei. Ela também teve a (má) sorte de ter a bagagem estraviada, o que deve dar uma dorzinha de cabeça na ginasta, mas no final das contas tomara que tenha dado tudo bem.

Resultados individuais

1. Mamun 75,350
2. Staniouta 72,950
3. Soldatova 72,400
4. Rivkin 71,350
5. Veinberg-Filanovski 71,150
6. Pazhava 70,900
7. Nazarenkova 70,450
8. Durunda 70,350
9. Poliakova 70,200
10. Berezko-Marggrander 69,650
11. Halkina 69,300
12. Lu 68,350

Conforme os resultados cheguem e os vídeos também, eu vou atualizando vocês.

=D

GINÁSTICA RÍTMICA – CONJUNTO BRASILEIRO SE PREPARA PARA ESTREIA INTERNACIONAL – GRAND PRIX DE BERLIM

Eu recebi um comentário essa tarde enquanto eu estava preparando o post de agora, falando exatamente sobre o que eu vou dizer por aqui – e não é que a seleção que a gente achou que era a reserva é na verdade a titular? E como essas meninas vão se comportar em Berlim? Vamos fazer um recap e comentar sobre o que pode ou não acontecer lá?

=D

O post é pra ser meio longo, então se senta com conforto e vamos conversar.

Nesse momento em que vocês estão aqui lendo esse post as meninas já devem estar no hotel, prontas para descansar bem nessa noite antes de iniciar os primeiros treinos. Para minha surpresa, ontem a CBG divulgou a foto com as meninas que embarcaram para lá – que basicamente são as mesmas que se apresentaram em SP no começo do mês.

11181844_934864739897910_3256324715574388971_n

Com a exceção da Débora entrando no lugar da Stephany, as outras cinco são as mesmas. Pelo que deu pra perceber, na minha opinião, com a volta da Camila para os treinos da seleção ela acabou escolhendo as meninas que ela queria de fato na seleção de conjunto, o que fez com que essas seis meninas viessem a se juntar. Nas entrevistas de antes a gente podia ver a Anna falando sobre a qualidade das meninas e como não tinha um time A ou time B. Parece que logo depois da entrada das meninas novas na seletiva e do convite da Andressa para participar do conjunto, a decisão de tentar colocar as meninas com mais qualidade superou a falta de experiência delas.

Isso é uma coisa que eu estava pensando hoje também, as meninas que já estavam na seleção são um time conciso, bem trabalhado e que deu bons resultados pro Brasil nos últimos dois anos, só que eu sinto que faltava um empurrão a mais pra essas meninas voarem. Sem falar que esse ano as coreografia são mais difíceis do que nos anos anteriores – pelo menos numa visão subjetiva. Ao invés de fazer cada elemento e colaboração aparecer por si mesmo, a gente pode notar uma maior movimentação das meninas pelo tablado, um pouco mais de frenesi para conseguir realizar os movimentos.

Eu fui visitar outras série anteriores para comparar a movimentação das ginastas pelo tablado, as dificuldades e a execução dos movimentos. Não acredito que elas estejam fazendo dificuldades corporais muito mais difíceis do que a gente tinha feito em outros anos, ou pelo menos algo muito diferente do que foi mostrado desde a entrada da Camila na seleção.

Acho que nesse ano o passo a frente foi a elaboração das coreografias.

Eu fui checar a nossa dificuldade nos últimos mundiais e vi que as nossas notas tem subido, mesmo que pouco a pouco. O único problema é a nota de execução que não consegue subir dos baixos setes, uma coisa que a gente precisa colocar pra trás. De uma forma, a nova organização das séries pode sujeitar na subida da execução – seguindo o exemplos das rotinas russas e israelitas, que tem uma evolução frenética pelo tablado. Claro que isso parece meio maluco ao pensar, mas eu estou fazendo suposições, sendo que a gente só vai ter certeza do que vai acontecer quando elas finalmente saírem a competir.

É só aguardar o sábado.

Acredito que a nossa missão nessa competição é fazer o máximo de acertos possível. Ainda mais porque as meninas vão competir nos dois dias, classificação e final, já que só tem sete conjuntos. Acho que pode ser super produtivo elas dividirem a competição com Rússia, Bielorrússia e Israel, sem falar em medir nossas forças com o batalhão do meio, Azerbaijão e Alemanha, e comparar com nosso adversário da América, o Canadá.

Não sei se vai ser possível conseguir um pódio/medalha, afinal as meninas ainda tem muito treinamento pela frente pra conseguir fazer essas séries acontecerem na maneira que precisa. Agora, tem que levar em conta que essa é a primeira competição internacional desse ano e a gente tem que ver como elas vão se comportar no tablado.

Acho que atingindo algum dezesseis na competição já seria algo super maravilhoso pra gente, pois já iria colocar o  conjunto no mesmo patamar do que o melhor conjunto da América esse ano está, os EUA. Mas claro, vamos ver como as meninas vão se comportar nessa competição.

Depois de Berlim ainda vai ter um mês e meio para o Pan, tempo mais do que suficiente pra colocar a cabeça no lugar e dar de tudo nos treinos. Não tem porque pirar agora, mas vai ser bom ver como elas vão se comportar por lá.

Pra quem ainda não viu, aqui vão os vídeos das séries do Brasil, com uns bônus mais pra baixo.

]

E aí vai a foto das seis meninas na última apresentação delas nessa última semana.

Agora é esperar e torcer, né?

=D

Voltamos a discutir mais – depois que a gente puder ver essas séries.

GINÁSTICA RÍTMICA – GRAND PRIX DE HOLON 2015 E A PARTICIPAÇÃO DA ANGÉLICA

Hoje aconteceu o primeiro dia de competições em Holon, com o Torneio Internacional para júnior/adulto e a competição do GP. 32 ginastas competiram, algumas espetacularmente, como a Salome Pazhava, e outras nem tanto, como a Halkina. Em todo caso a gente viu um nível bem alto de ginastas e foi possível comparar a força da Angélica com o resto do ranking.

O resultado oficial ainda não saiu mas eu posso comentar um pouco sobre as séries e notas da brasileira.

A Angélica começou competindo com a fita. Ela fechou uma série boa, sem erros graves e nem falhas grandes no corporal. O final ficou um pouco enrolado por causa do lançamento mais curto, mas foi bom ver ela acertando os giros com mais facilidade, isso que em Pesaro ela ainda estava bem limitada, então é bom ver a melhora. A nota foi 16,033, uma marca que ela estava esperando obter.

A segunda série foi a de arco. Logo no começo o arco escapou da mão da Angélica e foi pra longe, custando um 0,6 na nota final fora a perda do elemento que ela tava fazendo. No geral, no entanto, ela ainda conseguiu executar todos os elementos da série bem, excetuando um outro lançamento que ele teve que encurtar o passo pra pegar. Gostei de ver ela acertando os elementos corporais, de novo. A nota foi 15,000.

Na terceira série, a bola, Angélica estreou a nova coreografia. E com sucesso. Adorei todos os elementos da série e os passos de dança, acho que tudo ficou encadeado de uma forma bastante boa e bonita, e pra uma estreia com apenas um mês de treino essa série ficou com uma nota bastante boa, 15,850.

Ela fechou a competição com a melhor apresentação de maças desse ano. Alguns elementos um pouco indecisos ainda, um pouco de receio aqui e ali, mas ela conseguiu executar praticamente tudo da série, o que foi bom pra finalizar a competição com um bom sabor de boca. Nota 16, 133.

=D

GINÁSTICA RÍTMICA – SÉRIES NOVAS DO CONJUNTO BRASILEIRO – VÍDEOS

E AQUI ESTÃO!!!!!!

=D

Essas aqui são as séries do Brasil para esse ano.

O que eu tenho pra dizer? Okay, vamos sentar e conversar sobre esse conjunto.

Vamos falar das coisas ruins – não são poucas, hehe. Pra começar a gente tem um monte de meninas novas na seleção, algumas sem muita experiência em conjunto. MUITOS ERROS, muitos erros, bastante falhas no manejo do aparelho em ambos exercícios e muita falta de confiança. As séries estão prontas, mas as meninas precisam avançar MUITO. Mas muito mesmo. Ainda tem dois meses para o Pan, mas eu acho que elas precisam colocar a cabeça no tablado e treinar um monte.

O que eu achei bom? A gente tem aí umas novas dificuldades entrando no conjunto, elas não apresentaram os saltos, mas o resto foi tudo. Uma coisa que deu pra perceber foi a adição de pequenos fatores de dificuldade em tudo que elas tão fazendo. As trocas são mais difíceis, a montagem das coreografias tá bastante dinâmica, o que provavelmente está dificultando a execução.

Isso já é uma coisa que eu havia comentado no ano passado com algumas pessoas, como a nossa seleção é bastante lenta, apesar de ter séries boas. Parece que nesse ano elas tentaram acabar com isso, tentando diminuir a espetacularidade das séries pra intrincar tudo. E é o que aconteceu, mas como tá tudo mais difícil e as dificuldades e colaborações estão bastante interligadas, os erros estão aí.

Pra completar, aqui vai a foto com as meninas. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1355381431152214&set=p.1355381431152214&type=1&theater

Como deu pra ver tá cheio de meninas novas, mas ao mesmo tempo, tenho que confessar que elas tem um corporal bastante bonito e a gente tem que colocar o que tem de melhor aí na seleção. Só quero ver as meninas mostrando serviço.

GINASTAS DE CADA SÉRIE (não sei se eu consegui ver direito) (e aparentemente essa é a seleção reserva, cheia de ginasta fresquinha, então…)

Fitas – Bia Pomini, Ana Paula Ribeiro, Manu Lima, Stephany Gonçalves e Andressa Jardim

Arco e Maças – Bia Pomini, Manu Lima, Jéssica Mayer, Stephany Gonçalves e Andressa Jardim

Okay, se essas foram as meninas mesmo, então elas estão com quase zero de treino, então, é esperar e ver. Não vou dar meu veredicto final sobre as séries, afinal a gente perdeu bastante coisa e a nossa visão não foi maravilhosa no vídeo, mas deu pra ver o que deu pra ver. Obrigado a quem filmou, e um valeu pro Fernando que me mandou o vídeo.

Agora é treinar.

=D

E vocês, acharam o que?