GINÁSTICA RÍTMICA – O BRASIL NAS OLIMPÍADAS DO RIO 2016

Eu já começo esse post dizendo que eu estive afastado da GR por um tempo, e por isso que não tenho atualizado o blog da forma como costumava. Minha vida seguiu um rumo diferente do que eu previa e fiquei sem tempo, mas principalmente, sem inspiração para falar do Brasil, e da ginástica como um todo, por aqui.

Existem inúmeras formas de se seguir a ginástica hoje, especialmente pelas páginas no facebook e foruns da internet, e eu não tenho mais ânimo para estar aqui procurando links e vídeos e fotos para todo mundo – mas pra essa ocasião especial, eu tenho que voltar para minha página para falar com vocês.

Os jogos do Rio celebram para a ginástica brasileira um avivamento, algo nunca visto antes em precedente e importância pra toda a família da ginástica, independente de sua modalidade. Vimos como o público brasileiro lotou a Arena para assistir seus atletas competindo, mas não só isso, como queria ver a ginástica, assistir a esse show.

Não vou aqui falar da Ginástica Artística, que teve seus títulos e momentos históricos já discutidos, mas escrevo esse texto para parabenizar a família da GR que fez-se mostrar no Rio.

Alguns dizem que deveríamos ter ido melhor, que não foi uma participação boa – afinal de contas a nossa ginasta individual ficou na 23ª posição, e o nosso conjunto errou e ficou em nono. E eu vi uma chuva de comentários sobre a participação do Brasil, e como poderia ser melhor, e como não foram bem, e muitos outros comentário desnecessários daquela pessoas que só veem o esporte a cada quatro anos.

Mas calma lá, antes de falar sobre isso, tenho que dizer também que é graças a esses amantes de ginástica de quatro em quatro anos que nós ganhamos novos amigos, novos parceiros, novos atletas. E quem sabe os que comentam hoje, serão os conhecedores de amanhã. Então eu mando um agradecimento especial a eles também.

No entanto, até que eles se desenvolvam a esse ponto, a GR do Brasil continua competindo, e tentando alçar voos mais altos, vindo do fundo do poço onde habita.

Natália Gáudio foi um nome que eu nunca teria apostado para as Olimpíadas, mas ela sobreviveu ao tempo, lesões, ao título de segunda ginasta – que se converte em mito nessa Olimpíada nas mãos de Mamun – e chegou até o Rio, carregando a desconfiança de boa parte da torcida, inclusive a minha.

E então ela chegou lá e fez a competição da sua vida, e ganhou um 23º lugar, ainda distante do próxima posição no ranking, fazendo essa competição de sua vida. Alguns dizem que isso pode ser triste, alguns acham injusto. Eu acredito que isso é uma coroação para a carreira de uma ginasta, e só de ter uma mulher competindo entre tantas ginastas boas, colocando seu nome no mapa olímpico, isso é um feito por si só.

Mas sobreviver a uma competição dura, complicada e com uma torcida enorme pressionando, aí é que tudo muda. Eu tenho que mandar um grande abraço a ela, sua técnica, toda a família e todo mundo que colocou ela onde está, e especialmente a si mesma, pois pode existir um mundo de pessoas apoiando uma ginasta, mas assim que ela pisa no tablado, ela está sozinha.

A não ser que seja no conjunto.

E chegamos onde nós tínhamos ainda mais chances de avançar, e mais responsabilidades a cumprir nessas Olimpíadas. O conjunto brasileiro teve o seu melhor ciclo desde o início das competições de GR pro nosso país, e ainda que tenha o feito, sofreu uma chuva de críticas que começaram ainda em 2013 e ainda não terminaram.

Essas meninas não só conquistaram uma medalha importantíssima ao Brasil lá em 2013 ainda, um bronze em uma Copa do Mundo, como também tentaram subir o nível da ginástica brasileira a cada ano – mas foi difícil subir. Foi difícil avançar, muitas meninas ficaram pelo meio do caminho, muitas se perderam por não aguentar essa pressão.

Muito foi batalhado até se chegar no dia de hoje, a competição olímpica que o Brasil sonhou em chegar a final, apenas pra gente começar a nossa competição e perder as pernas no meio do caminho. Dois erros na primeira apresentação já colocaram as sirenes a soar, e me colocaram a fazer contas.

Acredite em mim, se a matemática necessária para se chegar a final já parecia impossível, você coloque uma rotina com erros nela. Eu estava aqui só esperando por um milagre. E no final das contas, elas não chegaram a final. Mesmo competindo como virtuosas na segunda apresentação, mesmo aguentando os berros calorosos de uma torcida que simplesmente não conseguia deixar de apoiar nosso time, elas ainda ficaram de fora.

E eu levanto minha voz pra dizer: elas iriam ficar de fora dessa final. Nas previsões para as Olimpíadas, oito times vinham com notas muito mais altas que o Brasil, e com nível que me pareciam impossível de alcançar, e isso foi confirmado. Agora, nós vínhamos de quedas em competições, cada vez deixando outros adversários passar por nós, ou tendo que suportar a falta de crédito dos juízes também, para conseguir avançar todo mundo em uma só competição.

E não só isso, conseguir mostrar tudo que foi feito nos treinos. Sinceramente, eu desejei ver falhas de outras equipes só para as meninas conseguirem chegar a final e mostrar aquela série de fitas sem falhas, mas ainda assim, eu vejo que o resultado foi justo, e nós temos que comemorar esse nono lugar.

Nós temos que comemorar essas notas, comemorar o público, mas mais do que isso, temos que comemorar as nossas ginastas, tanto do individual como do conjunto, que chegaram ao Rio e competiram sem desistir, e sem deixar nada as atrapalhar. Temos que comemorar as técnicas, que deram seu suor e suas lágrimas para essas meninas.

Desse dia de hoje, tem duas imagens que mexeram muito comigo.

A primeira foi na hora em que as meninas terminaram de competir com arco e maças e se abraçaram pra saíram juntas do tablado. Se elas não tivessem confiado em si mesmas, mesmo nas horas ruins, elas nunca teriam chegado ali. E aquilo foi por mérito próprio. Elas estava uma ao lado da outra, deixando claro que não existem melhores, porque elas estão juntas em cada degrau da subida.

E a outra imagem veio logo em seguida. A emoção da Camila com o final da apresentação traz lágrimas aos meus olhos só de lembrar. Tantas coisas se passaram na vida dela, e ela mereceu tanto ter essa seleção chegar a uma final olímpica, e eu tenho certeza que os sonhos dela eram maiores, mas ela estava ali chorando lágrimas de realização. A emoção ao ver seu trabalho dando frutos foi tão grande que ela teve que ser quase que acordada pela Bruna pra comemorar como brasileira – pulando e gritando, a mesma forma que fizeram no Pan.

Se não vimos brasileiras nas finais, vimos elas dando tudo para chegar lá, estando longe ou perto. A GR brasileira se despede do Rio com a promessa feita pelas próprias meninas, trazer uma nova geração de ginastas. O conjunto prometeu chegar mais alto ainda no próximo ciclo olímpico, e Natália disse que nas futuras gerações ela espera ver medalhistas mundiais aqui no Brasil.

E eu aplaudo elas todas, porque me fizeram chorar e sorrir, e voltar a sentir a ginástica.

=D

 

Anúncios

56 thoughts on “GINÁSTICA RÍTMICA – O BRASIL NAS OLIMPÍADAS DO RIO 2016

      • Liesl diz:

        Eu só perguntei porque li no Twitter que a Yana havia falado (antes da competição) na televisão russa que se aposentaria. E achei que depois desse resultado ela poderia ficar mais um ciclo pra tentar o Ouro em Tóquio.

      • princeinred diz:

        Eu acho que qualquer pronunciamento agora ainda é muito cedo. Até a próxima Olimpíada tem mais quatro anos, e acho que a única que sabe se fica ou vai é ela. O corpo dela já sofre bastante, e isso poderia ser um dos motivos a parar, mas claro, perder o ouro também motiva muito. Tem que esperar, tudo pode acontecer.

    • Kely diz:

      A Yana ia mesmo se aposentar por causa dos problemas físicos, mas agora q não conseguiu o ouro pode ser que continue mas no momento ela está de férias. A Mamun é bem certo que se aposente, ela já tinha falado algo sobre se dedicar a vida pessoal (casar e ter filhos) ainda deve marcar presença em algumas competições importantes nos próximos dois anos, mas olimpíada é pouco provável, até por que a Soldatova é a próximo nome pra defender a Russia.

      • princeinred diz:

        Eu acho que vai ser um trabalho árduo pra Yana aguentar mais quatro anos, ela já teve tantos problemas nesse ciclo, não sei como ela vai conseguir se defender no próximo. E a Soldatova é estrela, mas não tá nada definido sobre a situação dela pro próximo ciclo, já que ela não é uma ginasta segura e limpa como a Yana. Tem que esperar e ver. Mamun fez o seu trabalho e agora pode descansar, isso sim.

      • Kely diz:

        Sim, acho q no máximo já foi evento teste, mas é lindo de ver, sou muito (mas muito mesmo) fã da Bessonova e acho perfeito o Deriugins style. E seria bacana para as meninas do Brasil, mais pela tradição do evento mesmo.

      • princeinred diz:

        Mais ou menos. Hoje em dia a Ucrânia já tá um pouco desgastada -ainda que a Ganna seja minha ginasta preferida, claro. Mas vamos ver o que vem por aí.

      • Kely diz:

        (ignora esse comment que foi errado da Deriugina Cup hihihi)

        …sim seria complicado pra Yana pelos problemas msm, mas a Soldatova mesmo ela não sendo top como a Yana acho q ela tá pronta só precisa de ajustes msm, ela é nova e tal tem muito tempo pra acertar isso, a Yana tbem é nova. Eu gosto mesmo é do show sabe, então se tiver condições físicas pra Yana eu acho q ela consegue medalhar, e também tem outras ginastas despontando na Russia, alias sempre tem hahaha. Mas na verdade eu não sei o que vai acontecer é só especulação mesmo 🙂

  1. micael oliveira diz:

    Com certeza elas deram um show e mais uma vez parabéns pelo post, nunca desista de postar aui no maior blog de noticias da gr do brasil…. agora tenho uma dúvida… será possivel que o brasil possa receber uma copa do mundo ou mundial aqui de gr?

    • princeinred diz:

      Olha, eu acho que possível sempre é. Nós já temos o Meeting Internacional acontecendo nos últimos anos e seleções de todo mundo vieram – inclusive as grandes como Espanha, Rússia e Ucrânia. Isso é a nossa tentativa de trazer essas competições pra cá. O problema é que a logística de uma competição assim longe do pólo da GR é que complica, afinal de contas nem os EUA conseguem trazer essas grandes competições pra cá. Mas quem sabe? O Rio agora tem instalações muito lindas, como as Arenas Cariocas, que tem capacidade suficiente para suportar esses eventos.

    • princeinred diz:

      Eu acredito que não, porque é certo que vai haver uma contensão de gastos a partir de agora – mas a Camila passou mais de um ano com ela, creio que aprendeu bastante nesse período.

  2. severa diz:

    Infelizmente a série de fitas foi um desastre.. Isso já vinha acontecendo bem antes das olimpíadas, já na série de arcos e maças mereciam nota maior..Nunca pensei que Usa fosse fica lá embaixo com notas bem ruins, Alemanha e China atrás do Brasil…

    • princeinred diz:

      Vários conjuntos erraram nas fitas – e esse “desastre” foi causado por erros de só uma ginasta. Mesmo sem o erro teríamos ficado fora da final, e exatamente nesse mesmo lugar, só teríamos nos distanciado mais do resto. Se tivéssemos acertado, também teríamos cementado nossa posição por cima desses países, mas isso fica pra próxima.

  3. severa diz:

    sim..Eu já dizia que as chances de final eram nula, pois os outros países tiraram notas muitos superiores a nossa, inclusive USA.. Agora não consegui identificar a ginasta que cometeu o erro no início que a fita caiu..e o final?? melhor nem comentar essa parte.. Eu sinceramente temo pelo futuro da GR.. precisamos de melhorar muita coisa ainda pra sonhar com final em mundial e olimpiada.. falta força politica também…é só ver as russas com o ouro pra entender..Enfim Bielorússia e Itália de fora do pódio já é um caminho…

    • princeinred diz:

      A Fran errou nas duas vezes, mas também não vamos crucificar a ginasta por isso. Se não tivesse errado, teriam ido melhor, e chegariam bem perto da Ucrânia. Ainda assim, nível elas já tem, essas séries estavam bem boas, mas temos que ver o que chega aí pro ano que vem. Agora as meninas pretendem continuar, e ter uma seleção base já é bem bom, afinal de contas, lá do Pan 2011 nesse conjunto não sobrou nenhuma. E a Camila também tem evoluído muito como técnica. O que não dá agora é parar com o trabalho que já foi feito.

  4. micael oliveira diz:

    mas a Daiane Amaral não conta como sobrevivente do conjunto de 2011 kkk? Uma coisa q n paro de pensar… será que a Angélica vem no proximo ciclo novamente? pq dizem que pro pan e Tokyo o individual do brasil vai ta bem disputado com Stefany Gonçalves…

    • princeinred diz:

      Contar ela conta, mas não tem competido esse ano. E a Angélica diz que quer continuar, mas sabe como vai ser, lesões não deixam ela em paz. E tem as meninas novas que vem por aí também, então.

  5. Henrique diz:

    Então sobre o BR nessas olimpíadas fiquei feliz e triste. Sou do RJ e pode ir ver ao vivo o evento teste q teve aqui, vi a Natália errando muito e ficando entre as piores oq me deixou triste e o mesmo com o grupo! Então eu já estava sem expectativas para as olimpíadas, mas me surpreendi com o crescimento da Natalaia q mesmo muito abaixo do nível das outras ginastas ela fez bonito e não teve muitos erros (o q me fez simpatizar mais com ela , pois sempre prefiri a Angélica).
    E o conjunto enfim o erro grotesco do final me deixou puto mas elas lavaram a alma na 2 performance e ficando atrás por 0,2 do 8 lugar. Esse grupo tem tudo pra crescer e brilhar nos mundias e principalmente no próximo pan.

    • princeinred diz:

      Na verdade o conjunto ficou a 1.2 do oitavo lugar, mas tá por aí. E como eu falei, a Natália nunca foi minha preferida, mas competiu bem e merece o reconhecimento. Já o conjunto teve suas falhas sim, mas se recompuseram e levantaram a arena. Acho que nenhuma das ginastas vai ver um público assim na vida. Acho que temos um caminho lindo pela frente, é só esperar e ver.

  6. Henrique diz:

    Sim um público como esse só se for de novo aqui! Mas entendo toda a torcida, é lindo tudo, olha q estou acostumado em ver vídeos e sou bailarino profissional mas eu não tinha idéia de como as roupas brilham e como são flexíveis e magras. É mágico eu queria q tivesse sempre. Mas vc tem certeza q a diferença foi de 1 ponto? Lembro de ter visto no telão a uma diferença de décimos. .. Rsrs

  7. Tiger diz:

    Espero que o Brasil pare de ficar investindo em apenas duas ginastas e dar chances pros talentos que temos. Stefany é uma exelente ginasta e tem futuro,a primeira a quase tirar um 17 em campeonato. Já o conjunto está ótimo mas poderia trocar 2 ginastas,chamar Mayra de volta e dar mais oportunidade pra Bia e Eliane e tb participar mais de copas do mundo assim como fez esse ano.

    • princeinred diz:

      Olha, eu espero que invistam nas individuais sim, pelo menos poderia ter umas 4 ou 5 sendo mandadas a competições internacionais com mais frequência. Mas já no conjunto, eu acho que a volta da Bia pro principal já tava melhor do que nada.

  8. Henrique diz:

    Pois é! Kkkkk pega a gafe . Mas vc poderia me dizer uma coisa? Agora com o fim das olimpíadas vão renovar as ginastas? As russas e até no Brasil ? Vi uns vídeos e fotos de novas meninas como a Heloisa Bornal , será que teremos novos nomes que podem representar o Brasil?

    • princeinred diz:

      Olha, eu acho que o conjunto vai ficar parecido do que está, pelo menos se a Camila continuar. Agora, outros conjuntos já confirmaram que vão se aposentar, a maior parte das russas, búlgaras, americanas e espanholas já confirmaram. E pro individual tem ginastas novas sim, como a Heloisa. Só tem que esperar que apostem por elas.

      • Henrique diz:

        O Brasil precisa investir nas novas ginastas! Um exemplo é a Laura do EUA ela tem 16 anos e já ta no nível olímpico e desbancou todas no Pan. Injustiças a parte mas ela tem seus méritos. Chega de Angélica e Natália que vivem de lesão , amo a ginástica da Angélica mas infelizmente se não for pra estar na sua melhor forma é melhor dar oportunidade as novas

      • princeinred diz:

        O Brasil tem que investir em formação de base, pra ter essas ginastas boas quando crescerem. Não tem que apenas colocar uma ou duas pra competir internacionalmente.

  9. Henrique diz:

    Até esqueci de perguntar pro próximo ciclo quais vão ser os aparelhos dos conjuntos? Saudades em ver arcos e bolas juntos de novo rsrs. E será q um dia a supremacia russia será quebradquebrada?

    • princeinred diz:

      Nos próximos dois anos vamos ter 5 arcos e cordas e bolas. Agora, duvido muito que a Rússia será desbancada assim tão logo, mas quem sabe? E eu tenho saudade de arcos e bolas tbm. =D

      • Henrique diz:

        Cordas e bolas no misto ??? To doido pra ver isso kkk. Penso a mesma coisa sobre a Rússia até parece q o esporte foi criado pra elas kkkkkk . Ops mas foi kkkk

  10. Kely diz:

    Olá!
    A Ireesha postou nas redes sociais que a Deriugina Cup vai voltar em 2017! (Obrigado Deus) …existe alguma possibilidade da equipe do Brasil ser convidada?

    • princeinred diz:

      Olha, a Deriugina Cup vai ser apenas uma competição normal, nem Copa nem Challenge, mas o convite provavelmente sempre rola. Vai depender de como as meninas vão estar pra lá.

      • Kely diz:

        Sim, acho q no máximo já foi evento teste, mas é lindo de ver, sou muito (mas muito mesmo) fã da Bessonova e acho perfeito o Deriugins style. E seria bacana para as meninas do Brasil, mais pela tradição do evento mesmo.

  11. Allyson diz:

    E pelo visto a Ekaterina, auxiliar da Camila, está indo embora mesmo…
    Espero que isso não diminua a qualidade do conjunto que a tempos vem evoluindo notoriamente.

    • princeinred diz:

      Olha, isso era certo. Mas ela passou um ótimo tempo aqui, e tanto a Camila como sua equipe auxiliar devem ter aprendido um monte, assim como as meninas. A própria Camila tem aprendido muito, então eu estou bastante excitado para ver o que vai acontecer agora que ela vai trabalhar sozinha.

      • princeinred diz:

        Respondo bem rapidinho aqui, mas as inscrições não querem dizer muito quando as meninas nem começaram a treinar. Temos que levar em conta que as coisas estão atrasadas esse ano porque verbas foram cortadas, coisas estão mudando após o plano rio 2016, então temos que ter calma.

  12. micael oliveira diz:

    Concordo com vc temos que ter calma, mas estou curioso para saber como vai ficar a seleção individual do brasil pois ñ vi mais a angelica competir… e será mesmo que a barbara domingos e a stefhany gonçalves vao assumir os postos de angelica e natália? tbm fiquei triste que a beatriz pomini saiu da seleção 😦

    • princeinred diz:

      Olha, eu não posso afirmar muita coisa, mas acredito que tanto Angélica como Natália continuam. Mas sinceramente? Gostaria que a CBG desse um empurrão para as outras meninas subirem de nível também. Temos aí meninas que estão saindo do junior agora e que tem talento pra levar o Brasil pra mais longe, novas caras, gente com vontade de competir, – mas claro, nada contra as meninas que por anos defenderam o Brasil. E sobre o conjunto, bem, eu não faço ideia do que vai acontecer. A Camila continua comandando, e ela tem com objetivo 2020, então é esperar e ver mesmo.

    • Tiger diz:

      Pelo que eu vi esse ano no individual serão Nathalia Gáudio e Luiza Bornal. Já no conjunto será totalmente reformulado com a nossa seletiva que teve como todo ano porém estão esperando a verba de patrocinadores e liberação de contratos. Pelo andar das coisas acho que não veremos Brasil esse ano.

      • micael oliveira diz:

        Mas quem é luiza bornal? nunca ouvi falar… esperava uma andressa jardim ou stefhany gonçalves ou barbara domingos… sem conta que eu esperava ver a angelica competir…

      • Tiger diz:

        Andressa caiu muito nível e a Sthefany está grávida. Bornal atualmente é a mais capacitada p representar p Brasil.

  13. micael oliveira diz:

    O que você achou da convocação das novas ginastas da seleção de conjunto do brasil? e você tem alguma informação do conjunto e individual do brasil?

    • princeinred diz:

      Eu achei o conjunto bom, especialmente com os elogios da Camila. Sem falar que tanto a Fran como a Jéssica eram as mais fortes do conjunto, então estar ali pra auxiliar é muito produtivo. Sobre o individual, eu vi que a Natália vai competir agora em maio, junto com a Vitória Guerra, então temos que esperar pra ver como estão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s