GINÁSTICA RÍTMICA – O QUE VEM POR AÍ EM 2017?

Eu já começo esse post falando que eu não faço ideia de como eu vou continuar postando aqui, quando vou atualizar a página e o que vai vir aí pra frente. Estive debatendo bastante retornar a publicar, porque mesmo que eu sempre ache que vá desistir da ginástica, chega um novo ano e ela me toma de susto e lá vou eu de novo seguindo atrás. Vai ter postagem quando tiver, por isso nem falo mais nada sobre isso.

Agora, depois das melhor Olimpíadas da História, e quem discordar que feche a página, a GR passou por um completa reformulação, que a princípio nem parecia tão grande no caso do código de pontuação, e eu confesso que nem veria tantas coisas diferentes, mas o esporte mudou bastante do ano passado pra cá. Sem falar que as maiores estrelas da GR mundial se aposentaram ou estão indecisas a respeito de uma volta ao esporte.

O panorama de hoje mostra uma escola russa com muitas ginastas em primeiro lugar, mas definitivamente falta um nome grande e potente para carregar a escola nos ombros. Vemos a Bulgária crescendo a cada competição, com um time de ginastas no individual que querem rivalizar com as melhores, e com um conjunto que tem as melhores séries até agora. Vemos a Bielorrússia com Halkina tendo dificuldades para voltar à melhor forma, e ginastas novas que tem grande chances de crescer, mas ainda precisam de tempo para chegar lá.

As italianas estão colocando todas as esperanças num conjunto cheio de efeitos e momentos marcantes, mas sem deixar de alavancar a escola individual, encabeçada por duas meninas ainda jovens. Temos as americanas que cada vez mais aparecem no topo, inclusive a Laura Zeng quase chegando a sua primeira medalha importante em um AA.

Mas não é só de avanços que a GR se faz. A escola ucraniana, que nunca foi forte no conjunto, decidiu apostar nele este ano, já que as ginastas do individual simplesmente não estão conseguindo levar o time. Israel que não tem nem conjunto ainda depois de problemas com a técnica no ano passado, tenta levar as melhores ginastas do individual para competir. Salome Pazhava ainda fora das competições por causa das lesões deixa um vácuo de fantasia para todos os fãs. E claro, o Brasil que acabou de fechar patrocínio, finalmente voltou aos treinos, e só vamos ver elas competindo dentro de meses.

Apesar de tudo isso, este novo ano está trazendo nomes para a nossa mente, novos países para o topo, novas séries diferentes. Muita coisa tem acontecido nesse começo de ano, e eu estive acompanhando com um olhar atento, vendo todas as novas séries e tentando formar uma opinião a respeito do que vem por aí.

E para nós, brasileiros, vamos poder ver as primeiras meninas adultas competindo bem nesse final de semana, então é aguardar pra ver o que vai acontecer. Assim que eu tiver mais informações eu passo pra vocês, e no mais, até a próxima.

=D

Anúncios

One thought on “GINÁSTICA RÍTMICA – O QUE VEM POR AÍ EM 2017?

  1. diogo diz:

    Espero que continue postando mais, seu canal sempre foi referência. Mesmo o arco nunca saindo do conjunto haha, o conjunto búlgaro conseguiu me emocionar demais, uma série de fatores, a música, a coreografia, um encanto. É impressão ou a parte corporal dessas novas ginastas é superior ao do conjunto passado, estou certo? Amando Itália e Belarus também. ❤

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s